A Arte do Futebol

domingo, 3 de outubro de 2010

Origem do Talento


Um dos assuntos que mais me fascina no futebol é o talento. Esta palavra, por si só, divide opiniões e é algo que todos reconhecem e apreciam mas poucos sabem explicar o que é.

Muitos defendem que o talento é inato, que as pessoas nascem já com um ou mais talentos. Apesar de não meter as minhas mãos no fogo por aquilo que vou afirmar, eu não acredito que o talento seja inato, não acredito porque não acho que isso tenha lógica. Mas também não consigo compreender como é que toda a matéria do Universo tenha sido originada num ponto minúsculo através da teoria do Big Bang portanto o que eu acho que tem lógica ou não, vale o que vale.

Já dediquei muito tempo da minha vida a reflectir sobre a origem do talento e como tal, tenho algumas teorias. Antes de mais, eu estou plenamente de acordo com uma frase do Fernando Alvim que li numa crónica sua no jornal Metro: "...não existindo ambição, não existirá talento." Quais são então os condimentos para gerar talento? Futebolisticamente falando, creio que há 5 factores indispensáveis para criar jogadores de classe mundial.

Vontade de jogar futebol. É preciso que a pessoa tenha um gosto genuíno pelo futebol. Que queira jogar futebol independentemente de qualquer desejo de obter um elevado status na sociedade, de qualquer vantagem monetária ou até mesmo de qualquer pressão imposta pelos pais. Muitas vezes vemos jovens a dizer que querem ser jogadores de futebol para ganharem milhões, outras vezes são os pais que colocam os filhos no futebol, por vezes contra a vontade dos mesmos, na esperança de que estes sejam grandes jogadores para cumprirem o sonho dos próprios pais. Uma pessoa que joga futebol sem estar motivado, não vai estar predisposta a aprender e adquirir novas competências técnicas e cognitivas.

Ambição. Falo da ambição de melhorar como jogador e superar todos os seus objectivos. Não quero de modo algum contradizer o que disse no ponto anterior e como tal, é preciso distinguir a ambição de ser rico e famoso da ambição de ser melhor futebolista. Os nossos objectivos (ambições) têm de estar alinhados com os nossos gostos para podermos mais facilmente atingi-los.

Código genético facilitador. Atributos físicos como a velocidade, altura ou agilidade têm uma grande dependência de factores genéticos, sendo estes que definem o potencial de treinabilidade dessas capacidades. Um guarda-redes pode ser perfeito a nível técnico mas se medir 155 cm nunca será um guarda-redes profissional.

Contexto favorável. É preciso que a pessoa viva numa cultura futebolística e onde o futebol seja uma prática habitual entre os pares. É a jogar que se adquire a esmagadora maioria das competências futebolísticas portanto, se não houver ninguém para jogar connosco, não temos hipóteses de evoluir como futebolistas. Estima-se que um jogador profissional, precisa na sua infância de cerca de, em média, 5 horas diárias de prática, algo complicado se não houver ninguém com quem jogar. É preciso também ter a sorte de viver numa zona onde haja espaços para jogar futebol (espaços esses cada vez menos frequentes). Com o aumento da civilização, vai havendo uma lógica tendência para a redução do talento.

Sorte. Eu não sei o que é a sorte mas sei que um jogador precisa dela para ter sucesso. É preciso sorte para não ter lesões que comprometam as suas potencialidades, sorte para conhecer as pessoas certas nas alturas certas, de forma a conseguir uma colocação no clube certo que permita a evolução das suas potencialidades ao máximo, dando também a visibilidade necessária para que seja possível ir subindo, degrau a degrau, a escada do sucesso.

Claro que isto é uma opinião generalizada e simplificada pelo que admito haver muitos mais factores mas estes são o resultado de uma tentativa de reduzir as categorias de forma a abordar o que para mim é o mais importante.

1 comentário:

Andrews disse...

Creio que você abordou os principais factores preponderantes ao sucesso de um jogador de futebol no mundo profissional. O talento é variado, mas eu sou a favor da teoria do talento inato. Conseguimos ver diferenças do modo de jogar de jogadores como Messi, Xavi, Ronaldinho, Ronaldo(fenómeno), e a mulher maravilha Marta em relação aos demais. Há diferenças entre os percursos futebolísticos, uns evoluem para um optimo jogador equanto outros simplesmente nascem com isso.