A Arte do Futebol

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Desempate por Grandes Penalidades

O presidente da FIFA, Sepp Blatter, está à procura de alternativas para decidir os jogos que se encontram empatados após os 120 minutos. Este é um tema polémico onde se misturam questões como a tradição e a justiça. Os leitores do blog Coaching Advanced Players sugeriram várias medidas para substituir a marcação de penaltis, como por exemplo um maior número de prolongamentos com mais substituições ou situações de jogo reduzido em regime de golo de ouro.
 
Eu, como quase todos os amantes do futebol, já me questionei sobre se a marcação de penaltis é realmente a melhor solução para decidir o vencedor de uma eliminatória ou competição. Creio que uma das situações que mais suscitam este debate ocorre quando vemos uma equipa que cria muitas mais situações de finalização que a outra e mesmo assim acaba por ser derrotada após a marcação de grandes penalidades, como aconteceu na última final da Liga dos Campeões onde o Chelsea, praticando um futebol muito mais defensivo e conservador que o Bayern Munique, conseguiu vencer nas grandes penalidades. Terá sido justo o Chelsea ter vencido? Será que as grandes penalidades são uma forma de desempate tão aleatória quanto o atirar a moeda ao ar?
 
Para mim, adoptar uma postura mais defensiva frente a um adversário mais forte não passa de uma questão estratégica inteligente e tão válida como qualquer outra mais ofensiva. Foi assim que o José Mourinho conquistou as duas Ligas dos Campeões com o Porto e com o Inter e continua a ser considerado o melhor treinador do mundo. Quanto à marcação de penaltis, não acho que sejam uma lotaria, são apenas oportunidades de golo repartidas por ambas as equipas onde existe uma menor complexidade que noutras situações de jogo e onde a simplicidade da acção e dos respectivos gestos técnicos do marcador do penalti como do guarda-redes fazem com que esta forma de desempate seja um dos momentos mais apaixonantes e entusiasmantes do jogo, a única situação em que há apenas 2 desfechos possíveis, marcar ou falhar. Para além disso, a marcação e defesa de grandes penalidades é uma competência que é trabalhada e pode ser potenciada. Assim sendo, se uma equipa teve a competência para contrariar a competência da outra equipa, porque não decidir o jogo comparando a competência de ambas as equipas em mais uma situação de jogo?

FOTO: http://www.planetadofutebol.com/artigos/o-penalty-de-panenka

Sem comentários: